Quiere comprar pastillas de potencia Venda De Viagra Brasil La entrega de tabletas se produce en la normal imperceptible el sobre y se respeta la confidencialidad de la.

‘Sem Censura’ debateu educação e acessibilidade

Tv Cultura

‘Sem Censura’ debateu educação e acessibilidade

Programa também abordou a Residência Artística do Festival de Teatro Brasileiro
Publicado em 12/08/2015
Programa também abordou a Residência Artística do Festival de Teatro Brasileiro
‘Sem Censura’ debateu educação e acessibilidade

O “Sem Censura Pará” debateu a II Jornada de Estudos Linguísticos em Língua de Sinais e o I Seminário Internacional de Acessibilidade e Educação Especial no programa desta terça-feira (12), a Dra. Luizete Carliez, da Pró­ Reitoria de Relações Internacionais da Universidade Federal do Pará esteve no primeiro bloco para falar sobre o assunto. Luizete disse que muitas famílias não aceitam que os filhos nasçam surdos.  “Muitas famílias não aceitam que os filhos surdos sejam alfabetizados na Língua Brasileira de Sinais e os obrigam a querer falar como os ouvintes”, explicou.  A doutora também explicou o conceito de “escola inclusiva” que para ela é um projeto para o futuro, pois requer um custo capacitar profissionais para trabalharem com acessibilidade. A língua de sinais é um patrimônio histórico da sociedade. “A língua de sinal mobiliza outras áreas do cérebro, do raciocínio e do equilíbrio”, disse.

 

E no bate-papo do segundo bloco, o dramaturgo Paulo Vieira, falou um pouco sobre a residência artística do Festival de Teatro Brasileiro – Cena Paraibana que está em cartaz em Belém e Marabá desde o dia 4 de agosto. Paulo que estava acompanhado da atriz Suzy Lopes explicou a finalidade da Residência Artística com o “Sarau da Lata Absoluta” que reforça o caráter de intercâmbio de conhecimento entre os artistas que o evento propõe aqui no Pará e nas próximas cidades que percorrerá ainda este ano.

 

O integrante do coletivo Obs-cenas, Thiago Kazu, que contou todos os detalhes da exposição “Lab(r)uta” que foi aberta nesta terça (11), na galeria Theodoro Braga.  O coletivo é formado por jovens artistas que expressam através de sua arte as suas visões a respeito de indivíduos que estão à margem da sociedade.