Quiere comprar pastillas de potencia Venda De Viagra Brasil La entrega de tabletas se produce en la normal imperceptible el sobre y se respeta la confidencialidad de la.

Exposições promovem uma “simbiose” artística

Tv Cultura

Exposições promovem uma “simbiose” artística

O assunto vai estar entre os destaques de hoje do Sem Censura Pará.
Publicado em 17/07/2017
O assunto vai estar entre os destaques de hoje do Sem Censura Pará.
Exposições promovem uma “simbiose” artística

Foto: Divulgação

 

No programa desta segunda-feira (17) vamos receber os artistas visuais Genivaldo Amorim e Élcio Miazaki que neste mês de julho exibem no Espaço Cultural Casa das Onze Janelas as exposições “Bicho de corpo mole, mas de pele boa” e “Passiflora S. - Vestes de fragilidade”.

 

 Os dois projetos foram criados a partir da inspiração em questões como a pele e a vestimenta, apresentando o corpo como suporte e ao mesmo tempo estrutura para o objeto artístico. Assim, as duas exposições individuais são apresentadas simultaneamente por apresentarem em comum a idéia de metamorfose e simbiose trabalhada pelos dois artistas.

 

Sobre os Artistas e seus processos:

 Genivaldo Amorim, nascido em Umuarama (PR) e vivendo em Valinhos SP desde 1991, trabalha com pintura, desenho, instalação, escultura, fotografia e projetos especiais. Expõe regularmente desde 1995 no Brasil e em diversos outros países.

 

“Bicho de corpo mole, mas de pele boa”, sua primeira exposição no Pará, é composta por 41 peças feitas de tecido pintado e espuma, que se assemelham a uma espécie de bicho que parece flutuar no espaço.

 

 Como seus trabalhos só duram uma única exposição, sendo inteiramente refeitos a cada vez que são expostos, a instalação passa por uma transformação, com as “peles” desses “bichos” sendo transformadas em roupas.

 

 Élcio Miazaki, nascido na capital paulista, onde vive e trabalha, é graduado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP e se dedica à realização de obras que lidem com extensões de corpos, experimentações com tramas, pesquisa de formas e materiais.

 

 Em “Passiflora S. - Vestes de fragilidade”, apresenta indumentárias, criada pelo próprio artista, em que são utilizadas gavinhas de maracujazeiros. Suas obras também exploram a dualidade do que significam as roupas: Conferir proteção ou proteger estruturas frágeis. A partir dessa premissa o projeto de Miazaki permite a observação a um ser humano que não consegue esconder suas fragilidades.

 

 Não perca! O Sem Censura Pará vai ao ar logo mais às 14h30 e você acompanha a transmissão pela TV e aqui no Portal Cultura, através da TV ao Vivo.