Quiere comprar pastillas de potencia Venda De Viagra Brasil La entrega de tabletas se produce en la normal imperceptible el sobre y se respeta la confidencialidad de la.

Governo do Estado assina contrato do “Banparazão 2018”

Imprensa

Governo do Estado assina contrato do “Banparazão 2018”

A TV Cultura do Pará tem transmissão exclusiva do evento
Governo do Estado assina contrato do “Banparazão 2018”
Foto: Bruno Magno
Representantes do Governo do Estado, de clubes, da Federação Paraense de Futebol e Cultura Rede de Comunicação assinaram na manhã desta segunda-feira (8), no Palácio do Governo, o contrato para a realização do Parazão 2018. Serão mais de R$ 6 milhões investidos no “Banparazão 2018. A TV Cultura do Pará começa a transmitir os jogos de Remo e Paysandu neste domingo (14), na partida entre Remo e Bragantino, às 16h, no Estádio do Mangueirão, em Belém.
 
Assim como no ano passado, o campeonato levará o nome do Banco do Estado do Pará (Banpará), instituição financeira que vem garantindo a realização evento, com R$ 3.400.800,00 investidos. O apoio foi ratificado por meio da Casa Civil da Governadoria, Banpará, Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) e Cultura Rede de Comunicação, na presença do governador Simão Jatene.
 
Há oito anos, o Governo do estado garante a realização do campeonato, que terá a participação de 10 times, sendo oito do interior e dois da capital. “Esse evento é um esforço cada vez maior de dar dinamismo ao nosso esporte, fazendo do futebol uma ferramenta de integração do estado. Isso contribui para que o Pará se conheça melhor, para que as torcidas possam se confraternizar. Essa integração dá toda a grandeza e todo o simbolismo para esse momento. Mesmo com a crise, estamos fazendo esforço para manter o apoio e utilizar o esporte como esse elemento que une os times de todas as regiões do Pará”, pontuou o governador Simão Jatene.
 
 
Transmissão
Pelos direitos de transmissão exclusiva do evento, a TV Cultura do Pará vai destinar R$ 2.956.800,00. Desse total, 20% serão utilizados para premiar os melhores do campeonato. Cento e quinze municípios poderão assistir à transmissão dos jogos do Parazão, alcançando quase seis milhões de paraenses.
 
“O governo entende a importância desse apoio, está mais uma vez muito perto dos times e das torcidas, e a gente reafirma esse compromisso com a parceria com o Banpará. Iremos transmitir o campeonato este ano 100% em HD, e pra gente, vai ser uma emoção a mais”, disse a presidente da Cultura Rede de Comunicação, Adelaide Oliveira.
 
“Para nós, que gerimos o futebol paraense, é muito importante essa parceria com o Governo do Estado. As dificuldades são grandes, mas o governo vem honrando o compromisso com a gente e a população paraense, garantindo a realização do Parazão”, destacou o presidente da Federação Paraense de Futebol, Adélson Torres.
 
“Sem esse apoio do Governo do Estado, talvez hoje o campeonato não se sustentasse. Esses investimentos possibilitam a participação dos times do interior e isso é muito bom para o campeonato. Então, só temos a agradecer ao governo e acreditamos que esse trabalho continuado vai reforçar os times do interior”, disse o presidente do Paysandu, Tony Couceiro.
 
Há 11 anos sem disputar a primeira divisão do campeonato paraense, o Bragantino, time do município de Bragança, é um dos clubes mais motivados para o início do Banparazão depois da conquista da “segundinha”, competição que classificou as duas melhores equipes para o Parazão deste ano. “O apoio que o governo esta dando é de suma importância para os times do interior prepararem suas equipes e, principalmente pra gente, que está afastado, sem receita. Nosso município está muito motivado com o nosso retorno e só temos a agradecer ao governador Simão Jatene”, destacou Claudio Wagner, presidente do Bragantino.
 
Os investimentos do governo no campeonato vêm sendo decisivos também para o Clube do Remo. “Todos esses anos estamos recebendo essa ajuda e esse dinheiro já vai direto para a Justiça do Trabalho, para ajudar a pagar nossas dívidas trabalhistas com ex- jogadores. Quando assumi o Remo, em 2015, a dívida era acima de R$ 10 milhões e hoje, está em cinco. Então, só temos a agradecer ao Governo do estado”, disse o presidente do Remo, Manoel Ribeiro.