Quiere comprar pastillas de potencia Venda De Viagra Brasil La entrega de tabletas se produce en la normal imperceptible el sobre y se respeta la confidencialidad de la.

Audiovisual e música paraense foram destaques na Cultura Rede de Comunicação

Imprensa

Audiovisual e música paraense foram destaques na Cultura Rede de Comunicação

Audiovisual e música paraense foram destaques na Cultura Rede de Comunicação
Foto: Camila Lima/ Portal Cultura
Os últimos anos foram de produção audiovisual, futebol e música paraense na Cultura Rede de Comunicação (Funtelpa), que engloba TV, Rádio e Portal Cultura. Depois de 30 anos, a Cultura ganhou sede própria e investiu em equipamentos de transmissão de sinais - da tv e rádio - e montagem de novos estúdios. O Jornalismo Cultura também entrou em nova fase, com o projeto de integração das redações no novo prédio.   
 
A programação do ano na TV Cultura começou com a exibição do Campeonato Paraense 'Banparazão' 2018 pela TV, Rádio e Portal Cultura com a cobertura dos jogos de Remo e Paysandu. Pelo nono ano consecutivo, foram transmitidas 24 partidas em HD (high definition) para 115 municípios do Pará. Pelos direitos de transmissão exclusiva dos jogos, a TV  destinou, em 2018, R$ 2.956.800,00 enquanto que o Governo do Estado investiu mais de seis milhões de reais. A Rádio Cultura (93,7 FM) também transmitiu as principais partidas de Leão e Papão, enquanto que o Portal Cultura produziu matérias especiais dos times durante a competição.
 
Pelo sexto ano seguido, a Cultura Rede de Comunicação premiou os craques do Banparazão 2018, em várias categorias, no ‘Troféu Meio de Campo’. Mas o campeonato na Cultura também teve o lado social, com a realização da terceira edição da Campanha "Doadores Futebol Clube", que estimulou a doação de sangue entre os torcedores na sede do Hemopa. No 'Dia D' da campanha, o hemocentro triplicou o número de doações em relação a um dia normal (150 doações), com o comparecimento de 455 doadores. Em três anos, foram quase mil novos doadores no hemocentro.   
 
 
Prédio
Em outubro deste ano, a  Cultura Rede de Comunicação ganhou nova sede para as atividades da TV, Rádio e Portal Cultura, além da parte administrativa. Foram destinados R$ 3.355,983,35 para o novo edifício. Para esta nova fase, a Cultura investiu em novos equipamentos de transmissão de sinais - da tv e rádio - montagem de novos estúdios e instalações dos setores administrativos do edifício. O prédio fica na Rua dos Pariquis, bairro da Cremação, em Belém, e foi adaptado para receber as atividades. O parque de transmissão e a torre foram mantidos no antigo prédio, na avenida Almirante Barroso. 
 
 
O edifício tem 1262 m² de área, sete andares, e conta com modernos estúdios para os programas da Rádio e TV Cultura, ilhas de edição, biblioteca, salas de reuniões, setores administrativos, além de redações para os programas, e espaço de convivência para funcionários no último andar. É a primeira vez que a Cultura ganha sede própria em mais de 30 anos.  A inauguração da nova sede foi motivo de orgulho para o servidor João Brasil, que atua há 35 anos na Cultura. “Eu me sinto muito feliz porque diante de tantas coisas que já passamos na empresa, chegar em um momento como esse é maravilhoso. Esse prédio é uma coisa que almejávamos há muito tempo, se torna um sonho realizado”, conta ele, um dos 300 servidores da fundação.
 
 
"A mudança do prédio trouxe mais qualidade no trabalho dos servidores, pois passamos a oferecer mais estrutura, mais dignidade, qualidade de vida mesmo. Isso depois de 30 anos atuando na Almirante Barroso. E nos últimos anos, a Cultura tem feito grandes parcerias em benefício dos servidores também. Oferecemos cursos de línguas, vagas em faculdades, escolas para os filhos dos servidores, cursos de meditação, enfim, foi uma relação muito boa entre a gestão e o servidores", destaca Adelaide Oliveira, presidente da Cultura Rede de Comunicação, que está à frente da Funtelpa há oito anos. 
 
TV, Rádio e Portal 
Em março do ano passado, a TV Cultura do Pará completou 30 anos e celebrou a data com show de Dona Onete, transmitido ao vivo pela Rádio, TV e Portal Cultura. O evento, realizado no Teatro Margarida Schivasappa, em Belém,  teve ainda a participação dos músicos Felipe e Manoel Cordeiro. Atualmente com 68 programas na grade, entre 10 atrações locais e 59 nacionais, a emissora possui o mais rico acervo de imagens da TV paraense. São programas, documentários e produções que exaltam a cultura do Estado e mantêm viva essa memória  imagética. Também no ano passado, a emissora passou a transmitir o sinal em HD e normatizou o acesso ao acervo de imagens. Foi um marco na história da emissora, que possui cobertura em 115 municípios paraenses e 77 repetidoras. 
 
 
"Há 30 anos a TV Cultura do Pará se destaca pela qualidade do trabalho, tanto no conteúdo quanto na forma. Mas o principal que eu destacaria nestes últimos anos é questão da qualidade da imagem. Nós entramos na era digital e hoje transmitimos a imagem em HD. Então, o que já tinha qualidade da informações, hoje passa a ter qualidade de imagem. Com isso nós conseguimos aprimorar a elaboração de notícias, informações, cobertura de artes, documentários, enfim, todos os nossos produtos. Também não posso deixar de mencionar o  processo de integração das redações da Rádio e TV Cultura, que deixam de ser veículos isolados e passam a trabalhar juntos", destaca Tim Penner, diretor da TV Cultura do Pará. 
 
 
Por sua vez, a Rádio Cultura FM, há 33 anos no ar, se tornou referência nas produções locais de todos os gêneros musicais: das músicas genuinamente paraenses às músicas de caráter universal. Atualmente, com mais de 20 programas na grade de programação, a Rádio atinge toda a região metropolitana de Belém e alcança vários outros municípios ao longo da Rodovia BR-316. Nos últimos anos, a emissora tem se dedicado a produção e parcerias musicais com artistas paraenses como Mestre Damasceno, Nazaré Pereira, e o grupo Mestre das Guitarradas que ganharam CDs e EPs. Mas não é só isso. Os programas da casa como Conexão Cultura , Radar 93, Caleidoscópio receberam mais de 200 artistas nos estúdios da  emissora, que ganhou novos transmissores na atual gestão. 
 
 
Em se tratando do meio digital, o Portal Cultura ganhou uma nova configuração na atual gestão, onde passou a privilegiar o conteúdo institucional da Fundação, o que rende cerca de 10 mil acesso por mês. Por meio da plataforma foi possível, por exemplo, assistir ao vivo a programação da TV Cultura e ouvir a programação da Rádio Cultura. A plataforma também deu suportes nas produções do Jornalismo Cultura com matérias e conteúdos especiais. 
 
 
Jornalismo
Desde o final de 2016, o jornalismo da TV, Rádio e Portal Cultura produz conteúdos convergentes. Desde outubro deste ano, a produção é concentrada e uma redação integrada no primeiro andar do prédio. Para isso, os profissionais das emissoras e do Portal Cultura passaram por treinamentos ano passado com os jornalistas Dad Squarisi, que ministrou oficina de linguagem para web, e João Wainer, que deu um treinamento voltado para o audiovisual.
 
 
Um bom exemplo dessa integração foi a cobertura dos Círios 2017 e 2018, quando os veículos produziram conteúdos exclusivos para a fan page de Jornalismo da Cultura. Outras experiências com o jornalismo diário também foram consideradas um sucesso pela equipe do Jornalismo Cultura, que possui um a página no Facebook com 13 mil curtidas e seguidores, além do Twitter do Portal Cultura que alcança mais de 145 mil seguidores. 
 
 
"O fato de estarmos juntos em uma mesma redação facilita no momento em que vamos pensar em uma notícia. Por exemplo, ao invés de mandarmos duas equipes a um mesmo local, agora basta um repórter. Ele faz uma reportagem tanto para tv quanto para rádio, podendo ainda ser aproveitada para o digital. Então com essa nova configuração tivemos um ganho muito grande, principalmente em relação a um mesmo conteúdo, que pode ser utilizado em diferentes veículos", observa Alexandre Lins, coordenador de jornalismo da Rádio Cultura. 
 
 
Música, literatura e audiovisual 
Em 2017, a Cultura Rede de Comunicação lançou três séries contempladas pelo Edital Cultura de Audiovisual. Única emissora pública do Norte do Brasil a garantir edital na área, a TV Cultura destinou um total de R$ 3 milhões para as produções, sendo R$ 1 milhão de contrapartida da emissora e o restante proveniente do Fundo Setorial do Audiovisual, da Agência Nacional do Cinema (Ancine), que repassou mais R$ 2 milhões às produtoras paraenses selecionadas. A  última série contemplada pelo edital, "Os Konsiderados", será lançada em breve pela TV Cultura do Pará. 
 
 
Das produções contempladas no edital lançado em 2014, as séries de ficção "Diários da Floresta", da produtora Floresta Vídeo, e "Os Konsiderados", da Green Vision, receberam R$ 1 milhão cada. Já o documentário "Eu moro aqui", da produtora TV Norte Independente, e a animação "As Icamiabas na Cidade Amazônia", do Iluminuras Estúdio, receberam R$ 500 mil  cada.  Conforme o edital, as produtoras tinham que executar 80% dos projetos em solo paraense, bem como contratar artistas e técnicos locais para fomentar o segmento no Estado. 
 
Este ano, foi lançado o  2º Edital Cultura de Audiovisual e foram contemplados sete novos produtos na área, com financiamento total de R$ 4.490.000,00 assegurados pela Ancine (Agência Nacional do Cinema). Foram escolhidas duas obras seriadas de ficção no valor de R$ 1.000.000,00 cada, três obras seriadas de documentário no valor de R$ 430.000,00 cada, e duas obras seriadas de animação no valor de R$ 600.000,00 cada. "São editais que podem ter fôlego para inúmeras outras edições e que podem ser melhorados também. Acredito que a Cultura cumpre seu papel como emissora pública quando proporciona que as obras sejam de temáticas regionais, o que valoriza o Estado e movimenta o mercado audiovisual das produtoras locais", completa Adelaide.  
 
A música paraense e os artistas da terra também foram contemplados nas duas edições do Sonora Pará . O projeto incluiu uma série de curta-metragens com 24 artistas paraenses, produzidos sob olhares de 24 realizadores independentes selecionados pela Cultura. Foram produzidos 72 documentários, incluindo 48 curta-metragens que variam de 30 segundos a 1 minuto e 30 segundos, para exibição na Rádio Cultura, além de 24 curtas de cinco minutos, que foram veiculados na TV e Portal Cultura. 
 
 
Nos últimos anos a TV Cultura tem se dedicado a estimular a produção audiovisual, incentivando o mercado com iniciativas como o Edital Culturanimação e Edital Cultura de Audiovisual, em parceria com a Agência Nacional do Cinema (Ancine), para séries de ficção, documentário e animação. Além disso, a emissora também possui um núcleo de documentários, que tem se destacado em diversos temas regionais, como culinária, cultura e memória. Artistas como Toni Soares e Nazaré Pereira foram temas de documentário da TV Cultura do Pará e foram exibidos todos este ano. "Produzimos documentários importantes que mostram  o retrato contemporâneo do que está acontecendo aqui no Pará. Sem contar na qualidade e nos temas regionais que aproximam o nosso público", diz Adelaide. 
 
 
Dez artistas paraenses também foram selecionados na Mostra Protótipo, realizada no primeiro semestre deste ano, com objetivo de apresentar novos talentos da música paraense. Os artistas participaram de um grande show no Teatro Universitário Cláudio Barradas, em Belém, e o vencedor ganhou videoclipe da TV Cultura. O show foi exibido pela TV Cultura do Pará e os artistas também garantiram suas composições inéditas na Rádio Cultura FM.
 
 
Grandes ações
Nos últimos oito anos, a Cultura Rede de Comunicação tem se dedicado a projetos que exaltam a cultura do Estado. As transmissões do Festribal, em Juruti, e do Çairé, em Santarém, ambos no oeste paraense, também foram destaques nos últimos anos na TV, Rádio e Portal Cultura. O Festribal é transmitido há oito anos consecutivos, enquanto que o Çairé é exibido há cinco anos. Os eventos também foram exibidos por meio do canal do Portal Cultura no Youtube e Facebook do Portal Cultura, onde tiveram 77 mil visualizações e alcançaram 318 mil pessoas neste ano. 
 
 
A mistura dos diversos ritmos que compõem o cenário musical paraense foi a temática do "Terruá Pará". Em três edições (2006, 2011 e 2013), o projeto reuniu uma centena de artistas paraenses e trouxe visibilidade para a música paraense. Criado em 2006 e retomado em 2011, o Terruá Pará foi eleito, em 2013, o melhor projeto especial na categoria Música Popular, pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA). 
 
 
Também em 2013, a Mostra Terruá reuniu 72 artistas paraenses selecionados previamente para um grande apresentação, onde foram escolhidos 12 deles para compor o show do Terruá Pará, em  Belém e São Paulo. De 14 de maio a 30 de julho de 2013, em 12 terças-feiras seguidas, sempre com seis shows em cada, as 72 atrações se revezaram no palco do Teatro Margarida Schivasappa e levantaram o público paraense.
 
 
Música, teatro, moda e documentário foram os grandes destaques das oito edições do Festival Cultura de Verão. Criado em 2003, o Festival mobilizou mais de 300 artistas nas suas edições em Belém e interior do Estado. Os shows eram transmitidos pela TV, Rádio e Portal Cultura. Na TV Cultura, o Festival foi divulgado para mais de 100 municípios paraenses.
 
 
Em razão do  6º Festival Cultura de Verão, a Praça do Carmo, localizada no centro histórico de Belém, passou por revitalização em 2012. A Cultura Rede de Comunicação envolveu a comunidade na ação inédita, que teve parceria de vários órgãos e entidades. O projeto Tudo de Cor pra Você, das tintas Coral, forneceu todo o material para valorização cromática da praça e das casas do entorno.
 
 
"Fomos parceiros de algumas instituições do Governo interessantes nesses últimos anos como Fasepa, Secult, Secom, Fundação Cultura do Pará, Fundação Carlos Gomes e muitas outras. Considero a Cultura muito agregadora neste sentido na realização de ações destes órgãos ou como apoio em nossas atividades. Isso demonstra uma sintonia muito boa entre os órgãos", observa Adelaide. 
 
 
O trabalho da atual gestão da Cultura Rede de Comunicação finalizou com o lançamento do livro "Catalendas: uma história de bonecos na TV". A publicação revela os bastidores do programa Catalendas, exibido entre os anos de 1999 e 2013 pela TV Cultura do Pará, que trazia Dona Preguiça e Preguinho como principais protagonistas. Neste sentido, a Cultura também lançou um canal do programa no YouTube.