Quiere comprar pastillas de potencia Venda De Viagra Brasil La entrega de tabletas se produce en la normal imperceptible el sobre y se respeta la confidencialidad de la.

TV Cultura exibirá espetáculo do Festival de Ópera

TV Cultura exibirá espetáculo do Festival de Ópera

“Suor Angélica” será exibida a partir deste sábado (26), às 17h30.
TV Cultura exibirá espetáculo do Festival de Ópera

A TV Cultura irá exibir a montagem “Suor Angélica”, que está na programação do 18º Festival de Ópera do Theatro da Paz. O espetáculo será realizado nesta segunda (21), quarta (23) e sexta-feira (25), sempre às 20h, na Igreja de Santo Alexandre. A exibição da Cultura ocorre pela TV e também pelo site do Portal a partir deste sábado (26), às 17h30, e nos dias 02, 09 e 16 de novembro.   

 

“Suor Angélica” é uma ópera de apenas um ato do compositor italiano Giacomo Puccini e pertence à trilogia “II Trittico”, escrita em 1918. A ideia é que O Capote, Suor Angélica e Gianni Schichi fossem encenadas em um mesmo espetáculo, como foi na estreia em 1918, no Metropolitan Opera House de Nova York. A história se passa na Itália, no final do século 17. Angélica, jovem de família aristocrática, teve um filho fora do casamento e por isso acaba enclausurada em um convento. Apesar da dor causada pela ausência do filho, ela se apega à fé e se adapta à vida religiosa. 

 

De acordo com Jena Vieira, diretora cênica do espetáculo, “Suor Angélica” é uma montagem que corresponde o estilo não apenas de Puccini, mas do período que ele viveu. Ela explica também que esse período da música rejeita os temas históricos míticos e grandiosos do romantismo, comuns em Óperas muito assistidas, como Idomeneo, de Mozart.  “Ópera é uma obra de arte e toda obra de arte é atemporal, “Suor Angélica” pode ser encenada em qualquer período da história que será atual. Optei por fazer uma versão tradicional, me reportando ao período descrito por Puccini no libreto, que diz que a história se passa no final do século 17. Então, o público pode esperar uma ambientação e figurinos adequados à época”, afirma.

 

A solista Diones Colares interpreta a protagonista Angélica e conta que a expectativa é de que o público goste muito, pois, além da beleza da obra, a ambientação da montagem na Igreja de Santo Alexandre traz a sensação de se estar em um verdadeiro convento. Sobre participar do espetáculo Diones relata, “eu recebi o convite como um presente. A Jena disse ‘pensei na tua voz, acho que encaixa perfeitamente para Suor Angélica’. No início eu tive uma concepção diferente do papel, já tinha assistido algumas produções diferentes e achava que era uma voz mais pesada, mais dramática. A Jena desconstruiu isso na minha cabeça, na minha concepção estética, então eu resolvi encarar e estudar esse papel. Hoje, eu acho que a minha voz encaixa perfeitamente para a personagem”.

 

A secretaria de Estado de Cultura, Úsula Vidal, relata que o Pará possui vozes belíssimas e ampliar o objetivo das ações do Festival de Ópera com as formações para cantores líricos foi uma das novidades mais significativas desta edição. O espetáculo conta com a participação dos aprovados no I Curso de Formação em Ópera do Theatro da Paz, que selecionou vinte cantores líricos profissionais. O grupo tem recebido capacitação musical e cênica desde agosto deste ano, para que ao final de quatro anos esteja preparado com excelência para formar um corpo fixo de cantores líricos do Theatro da Paz. “Já temos no Pará um corpo técnico altamente qualificado para as demandas da produção operística. Estas ações de incentivo e capacitação valorizam ainda mais os enormes talentos que temos aqui. Além disso, a extensão do calendário de montagens e récitas também foi uma inovação extremamente positiva. Isso gera uma ativação maior da cadeia produtiva da ópera, ao longo de todo este semestre. São centenas de músicos, cenotécnicos, aderecistas, costureiras e produtores de cena envolvidos nas montagens e musicais durante a metade do ano. É qualificação e atividade econômica andando juntas”, afirmou a secretária.

 

O Festival de Ópera estreou este ano com uma nova roupagem com a apresentação de um modelo mais amplo e contínuo, distribuído ao longo de seis meses em cinco ações distintas, que são: Temporada de Ópera, Formação, Temporada de Concertos, Teatro Musical e Itinerância. A programação do festival segue até  22 de dezembro, com a inclusão de mais uma ópera: Amahl e os visitantes da noite, de Gian Carlo Minotti, que terá uma das récitas aberta ao público e apresentada em um palco externo. 

 

Programação

 

“Suor Angélica”- de Giacomo Puccini

 

Data: 21, 23 e 25/10

Horário: às 20h

Local: Igreja de Santo Alexandre 

 

Oficina de Teatro – Dramaturgia Pessoal do Ator I (Cláudio Barros)

Data: 28/10 a 22/11

 

Concerto da OSTP

Data: 31/10

Horário: às 20h

Local: Theatro da Paz 

 

Musical “Árvores que Tocam” - Composição do Thiago D’Albuquerque e direção

musical de Vanildo Monteiro.

Data: 12, 15 e 16/11

Horário: às 20h

Local: Theatro da Paz 

 

Apresentação dos Alunos do I Curso de Formação em Ópera e OSTP

Data 19/11

 

Oficina de Teatro – Dramaturgia Pessoal do Ator II (Alberto Silva)

Data: 25/11 a 20/12

 

“Amahl e os Visitantes da Noite” - de Gian Carlo Minotti

Data: 17, 19 e 21/12,

Horário: às 20h

Local: Theatro da Paz

 

Concerto Coro e OSTP

Data:  22/12

Horário: às 20h

Local: Theatro da Paz

 

Serviço

 

18º Festival de Ópera do Theatro da Paz 

Espetáculo - “Suor Angélica”, de Giacomo Puccini

Venda de ingressos na bilheteria do Theatro da Paz, interessados também poderão adquirir pelo site

Informações pelo telefone: (91) 4009-8758 

 

Foto: Mário Quadros / Ascom - Secult