Quiere comprar pastillas de potencia Venda De Viagra Brasil La entrega de tabletas se produce en la normal imperceptible el sobre y se respeta la confidencialidad de la.

Pará é pioneiro no descarte correto de medicamentos

Pará é pioneiro no descarte correto de medicamentos

No estado esse serviço já acontece desde 2014 e já recolheu cerca de 6 toneladas de remédios vencidos ou em desuso.
Pará é pioneiro no descarte correto de medicamentos

No último dia 05 de junho foi instituído no Brasil, por meio do Decreto Federal nº 10.388, o descarte correto de medicamentos vencidos ou em desuso, bem como de suas embalagens. O Pará, através do Conselho Regional de Farmácia do Pará (CRF/PA), é o estado pioneiro nacionalmente no debate e destino correto de medicações.

 

Através do projeto “Farmacêutico Pai D’Égua”, iniciado em Belém em 2014 e que hoje ocorre em mais de cinco municípios paraenses, foram criadas leis municipais sobre a obrigatoriedade de se descartar medicamentos em farmácias e drogarias da capital e das cidades de Santarém, Juruti, Redenção e Oriximiná.

 

O projeto surgiu a partir dos dados do Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas (Sinitox), segundo o qual os medicamentos ocupam o primeiro lugar entre os agentes causadores de intoxicações. O problema se deve, sobretudo, porque grande parte da população desconhece os impactos causados por substâncias jogadas no lixo comum ou em vasos sanitários. Além disso, não existiam, até então no estado, leis específicas sobre o tema e políticas públicas de conscientização acerca do assunto.

 

O Farmacêutico Pai D’Égua também destaca a importância do farmacêutico, bem como da discussão sobre o descarte adequado de remédios nos “descartômetros”, espaços criados nas farmácias para recolher medicações vencidas e ou sem uso pela população.

 

O equipamento, de simples construção, já coletou, desde a sua criação, aproximadamente seis toneladas de medicamentos fora do prazo de validade armazenados nas residências. Tais produtos são encaminhados à Secretaria de Saúde do Estado do Pará que realiza a destruição dentro das normas brasileiras.

 

Foto: Agência Pará (Arquivo)