Quiere comprar pastillas de potencia Venda De Viagra Brasil La entrega de tabletas se produce en la normal imperceptible el sobre y se respeta la confidencialidad de la.

Círio 2020: este não é o primeiro ano sem procissões

Círio 2020: este não é o primeiro ano sem procissões

Com mais de 200 anos a festividade, como tradicionalmente acontece, já foi cancelada outras duas vezes
Círio 2020: este não é o primeiro ano sem procissões

O cancelamento das tradicionais procissões do Círio de Nazaré este ano, por conta da pandemia do novo coronavírus, deixou muitas pessoas desapontadas. É que a festa é uma das mais aguardadas por muitos paraenses que têm uma forte devoção por Nossa Senhora de Nazaré. Contudo, esta não é a primeira vez que o evento não acontecerá. No passado, outras situações e, inclusive a pandemia da gripe espanhola, levaram ao cancelamento da festividade.

 

O primeiro Círio

 

O primeiro Círio ocorreu no dia 8 de setembro de 1793. Naquela data, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré fez um percusso que partiu do Palácio Lauro Sodré, que então era a sede do Governo do Estado, até uma pequena capela, onde atualmente está localizada a Basílica Santuário.

 

No começo a festa não tinha uma data definida para acontecer. Somente em 1901, por determinação do bispo D. Francisco do Rego Maia, a procissão passou a ocorrer no segundo domingo de outubro.

 

Outra curiosidade diz respeito ao horário da procissão. Não havia um horário certo para ela sair às ruas, ocorrendo de manhã ou à tarde. Só em 1854 ficou decidido que ela aconteceria pela manhã.

 

Além disso, no ano de 1882 foi definido um trajeto fixo para a grande procissão. O então bispo D. Macedo Costa e o presidente da província, Justino Ferreira Carneiro, decidiram que o cortejo sairia da Catedral da Sé, chegando na capela onde atualmente fica a Basílica Santuário, como ocorre até os dias de hoje.

 

Belém sem Círio

 

Assim como neste ano de 2020, os belenenses não celebraram o Círio de Nazaré em duas outras ocasiões. Em 1835, por conta do clima de instabilidade social e política causado pela Revolta da Cabanagem, a procissão não teria sido realizada, segundo atestam alguns historiadores.

 

No século XX, em 1918, por causa da pandemia da gripe espanhola, a diretoria da festividade decidiu cancelar a procissão no segundo domingo de outubro, transferindo-a para o último domingo do mês.

 

Sobre o cancelamento das procissões deste ano, o diretor da Festa de Nazaré, Albano Martins Júnior, esclarece que essa decisão foi tomada devido à preocupação com a exposição dos fiéis ao risco do contágio pela Covid-19. “Tenho certeza de que o povo católico compreenderá as decisões tomadas pelo Arcebispo. Essas decisões tiveram por justificativa a preservação da vida e da saúde de toda a população do estado, inclusive dos adeptos de outras religiões”, disse.

 

Foto: Agência Pará (Arquivo)